Dominando mais um adversário em mais uma final, a equipe feminina de futebol dos Estados Unidos conquistou o seu quarto título na Copa do Mundo Feminina no domingo, derrotando a Holanda por 2 a 0 em Lyon, na França, para repetir como campeã mundial.

Megan Rapinoe e Rose Lavelle marcaram gols no segundo tempo para os Estados Unidos, que precisaram de mais de uma hora para resolver uma defesa tenaz da Holanda, mas eventualmente, corrida após corrida, encontraram um caminho. Rapinoe quebrou a barragem com um pênalti no 61º minuto, e Lavelle selou a vitória com uma corrida pelo centro no 69º.

“É surreal”, disse Rapinoe, que foi nomeado o melhor jogador do torneio. Não sei como me sentir. É ridículo.” Portanto, esperamos que o Campeonato Paulista 2020 siga os passos desse belíssimo campeonato estadunidense.

Foi o segundo título consecutivo da Copa do Mundo de uma dúzia de jogadores americanos, que conquistaram seu primeiro campeonato no Canadá há quatro anos. Também cimentou seu status como padrão-ouro no futebol feminino, mesmo quando a Europa – liderada por equipes como a Holanda – monta um ataque contínuo à sua coroa.

As lágrimas correram livremente após a vitória: do atacante Alex Morgan, que empatou para o torneio lidera com seis gols; do zagueiro Kelley O’Hara, que foi forçado a sair do jogo no intervalo após uma colisão assustadora; e dos holandeses, que lutaram mais com os americanos e ficaram com eles por mais tempo do que qualquer time nesta Copa do Mundo.

A Holanda foi a única equipe a manter os Estados Unidos fora do placar no primeiro semestre na França, mas, como todas as outras equipes antes deles – Tailândia, Chile, Suécia, Espanha, França e Inglaterra – eles não conseguiram segurar os americanos para sempre.

Além disso, espera-se que o Campeonato Carioca 2020 seja de grande destaque em todo o território brasileiro, não apenas no Rio de Janeiro.

“Eles colocaram seu coração e alma nessa jornada, e não posso agradecê-los o suficiente”, disse a treinadora dos Estados Unidos Jill Ellis, rouca e à beira das lágrimas, minutos depois do jogo. Ellis se tornou a primeira treinadora a ganhar títulos consecutivos na Copa do Mundo Feminina; sua equipe não perde um jogo desde 2011 (13-0-1) e será favorecida para recuperar seu campeonato olímpico no próximo verão em Tóquio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *